sábado, 2 de maio de 2015

Ver-te é como ter à minha frente todo o tempo (Ruy Belo)


Ver-te é como ter á minha frente todo o tempo
é tudo serem para mim estradas largas 
estradas onde passa o sol poente 
é o tempo parar e eu próprio duvidar mas sem pensar 
se o tempo existe se existiu alguma vez 
e nem mesmo meço a devastação do meu passado



2 comentários:

  1. tenta escrever aqui algo teu de certeza vai sair belo tb (penso que já li por aí)

    ResponderExcluir
  2. tenta escrever aqui algo teu de certeza vai sair belo tb (penso que já li por aí)

    ResponderExcluir

Não tenho ambições nem desejos.
Ser poeta não é uma ambição minha,
É minha maneira de estar sozinho.
(Fernando Pessoa)